23/12/2006

Natal e blogosfera

A blogosfera pode dividir-se em dois grandes grupos quando se atinge a altura do Natal:

1 - Os que continuam a postar
2 - Os que abandonam tudo o que tenha teclado e monitor*

(basta ver um decréscimo acentuado no número de posts/comments de qualquer blog das redondezas)

E dentro desses:

1 - Os que gostam do Natal e mostram-no, mais ou menos explicitamente.
2 - Os que odeiam o Natal e fazem gloriosa questão de o alardear aos quatro ventos.

Uma engraçada bipolarização, reconheço.


* - alguns deles porque voltaram a casa para as festas...

21/12/2006

Pró-vida e Pró-escolha

Este post da Luísa deu-me inspiração para escrever o que se vai seguir:
(Nota: Estou com uma directa em cima, estou incrivelmente resmungão por isso se sair asneirada já sabem do que foi)

Os moralismos dos Pró-Vida irritam-me. Profundamente. Aliás, irritam-me todos os moralismos no geral. Não por existirem, cada um guia-se pelo seu próprio conjunto de valores, mas sim quando tentam impingi-lo aos outros. Isso é que já me deixa f**ido. Limitar as escolhas de uma pessoa, seja ela qual for, só porque pessoalmente não se concorda com elas e tudo se faz para que isso não seja permitido.

Um conselho valente aos nossos amigos pró-vida: se prezam assim tanto a vida, façam cordões humanos à volta dos cemitérios. Não deixem entrar nem mais um morto. Façam vigilias nos hospitais para impedir que as doenças e os acidentes ceifem mais vidas! Ataquem as casas funerárias e as capelas mortuárias, esses antros de celebração de um acto tão odiado! Exterminem as morgues!

MAS NÃO TENTEM FAZER A ESCOLHA PELAS OUTRAS PESSOAS!

Tá?
Paz
P.

19/12/2006

Noite

Noite.
Dia de greve no Metro.
Hoje vai ser demorada a viagem até casa.

Quase Natal.
Cheira a castanhas no Marquês.
Prendas estão todas compradas (não são muitas).

Trabalho.
Muito.
Mas sempre em boa companhia, dá para descontrair e rirmo-nos a toda a hora.

Frio.
Encolho-me na cama quando me deito.
Acabei todos os livros que tinha para ler.

Noite.

Tenho fome.

10/12/2006

Kind of Blue

(Nota: se acha que devido ao título este post vai falar sobre o Miles Davis ou sobre Jazz, veio parar ao sítio errado)

Eis-me de volta, depois de uma noite/madrugada de terça para quarta-feira do piorio: vomitório a dar com um pau. E eu que, descontando a bela da endoscopia que está muito bem documentada neste mesmo blog, não vomitava desde os 14 anos, por mais mal-disposto que estivesse. E estive mesmo, atingindo o record (pelo menos para mim) de 7 projecções durante toda a noite. Mas enfim, já lá vai.

Hoje dedico a barra da direita a duas das minhas colegas de trabalho, e a todos os fãs de PJ, principalmente aqueles que foram assistir aos concertos no Atlântico. Ficam aqui 3 das minhas favoritas deles, não consegui arranjar o Given to Fly nem o Wishlist senão também estariam aí ao lado.

Outro sinal que é Natal: Está um frio do caraças.

P.S.- Parabéns aos meus lindos Catarina e Paulo que se casaram ontem
P.P.S.-Acho que nunca fiz um post em que falasse de tanta coisa diferente e não-relacionada como este.

05/12/2006

Necessidade

PRECISO DE IPECACUANHA!

Post 222

Duas perguntas, uma retórica e outra não:

1 - Could you miss something you'd never had?
(retirado do livro The Bedroom Secrets of the Master Chefs, Irvine Welsh)

2 - Sabem a sensação de estarem tão doentes do estômago que só vos apetece vomitar (e não conseguem) e terem que ficar a trabalhar, mesmo naquela altura em que sentimos uma dor de cabeça horrenda?

Adivinhem qual é a retórica.

P.S.-Estou meeesmo mal

02/12/2006

Sabe-se que o Natal está a chegar quando...

1. ...se compra o Expresso e este pesa mais 2kg do que o habitual porque traz catálogos e publicidade de tudo e mais alguma coisa.

2. ...me despeço do gastroenterologista (já agora refiro que me mandou comer carne, muita carne, e massa) com uma troca de "Feliz Natal e Bom Ano" à porta do consultório.

3. ...a nha mãe começa a fazer novamente Cozido à Portuguesa, em variações (sem batata e cenoura, p.ex.)

4. ...as pessoas começam a stressar com o que comprar e a quem, e nas comidas/doces/vinhos que vão ter que arranjar. Obviamente, stress gera mais stress nos que estão por perto.

5. ...deixa de haver touradas na televisão, e outras referências a qualquer desporto que envolva andar exposto aos elementos.

6. ...os autocarros da Carris começam a dizer 723 Desterro/via Univ. Ajuda/FELIZ NATAL e andam nas ruas os eléctricos com decoração específica e os guarda-freios mais gordos e alucinados vestidos de vermelho

7. ...começam a aparecer na caixa de correio "encomendas" não-solicitadas chatageando emocionalmente as pessoas a contribuirem para a causa.

8. ...as reportagens televisivas transformam-se lentamente numa parada de consumidores a queixarem-se dos preços e de comerciantes a queixarem-se que não têm clientela. Bullshit.

9. ...esta querida e esta querida entram em modo Balrog. Esta outra querida, no entanto, transforma-se no oposto (um hobbit, talvez?)

27/11/2006

Som #41 - Final perfeito de um filme-quase-perfeito

The Jesus and Mary Chain - Just Like Honey

Verdade seja dita, nunca apreciei muito estes rapazes ingleses. Demasiado 80s, provavelmente. Os cabelinhos manhosos que se podem ver neste vídeo certamente não ajudam em nada. Mas esta música é "o" exemplo que a música certa no sítio certo faz verdadeiros milagres. O Lost in Translation ganhou imenso no final com esta música. E esta música ganhou imenso por estar no final do filme. Tão simples como isso.

(Nota: o Lost in Translation é um daqueles filmes que entrou directamente para o Top 10 das preferências, sem ser preciso ver mais que uma vez. E merece.)


26/11/2006

BloggerFriendly: RSS Feed

Depois deste título que deve ter deixado metade da população de leitores a exclamar "hã?", vamos aos detalhes:

Para quem tem Firefox, Opera ou Internet Explorer 7:
Já repararam que aparece na barra de endereço, quanto visitam blogs, este símbolo? Se carregarem nele o vosso browser vai salvar-vos o blogger como um "favorito" ou bookmark especial.

Passam a poder ver, sem sequer entrarem nos blogs, se foram feitos novos posts ou não ao simplesmente visitarem os vossos favoritos, porque a feed vai dar-vos os títulos dos posts publicados. Além de permitir ter todos os blogs que visitam frequentmente numa lista prática, conseguem ver de rajada se há novos posts ou não. Incrivelmente prático e muito mais rápido.

Desvantagem: A RSS feed apenas apresenta a lista/primeiros parágrafos dos tópicos (depende do que estiverem a usar), logo não precisa de entrar no blog em si para os ver. Por isso mesmo, não aumenta o postcount.

Experimentem, principalmente se costumam ver uma valente catrefada de blogs. Bem melhor assim



Se utilizam IE6 têm que arranjar um leitor de RSS externo. Quanto ao Safari, não sei.

24/11/2006

Fui desafiado pela Maria Vinagre

Cá vai:

ALTURA:
1M88 de puro macho lusitano

QUE SAPATOS ESTÁ A USAR?
Uns ténis Reef azuis. Antes estava a usar uns Timberland pretos, mas ficaram encharcados e troquei-os quando cheguei a casa.

MEDO?
De homens tesudos num beco escuro. Apanhar o sabonete.

OBJECTIVOS A ALCANÇAR:
Sobreviver a um semestre de aulas de alemão a um sábado de manhã. Curar-me da úlcera. Comer um belo bife.

FRASE QUE MAIS USO NO MESSENGER?
hola

MELHOR PARTE DO CORPO?
Pescoço (quantos é que respondem esta, hein?)

PALAVRÕES?
Todos os dias em quantidades estupidamente exageradas. Devo relembrar que trabalho numa universidade E numa fábrica. Estranho seria se não dissesse nenhuns. Mas digo mesmo muitos palavrões, caralho. Tenho que melhorar esta merda.

LADO DA CAMA?
Meio.

TOMA BANHO TODOS OS DIAS?
Quem é que é o camelo que decide estas perguntas?

GOSTA DE TOALHAS QUENTES?
Outra pergunta de merda. Caralhos o fodessem. (Pronto, lá estão os palavrões)

URSINHOS DE PELÚCIA?
OUTRA! Vai cagar! NÃO!

ACREDITA EM SI MESMO?
Não. Sou um grande grande aldrabão. Só acredita em mim quem for mesmo tapadinho de todo.

DÁ-SE BEM COM OS SEUS PAIS?
O meu pai já morreu. Dou-me bem com a minha mãe. Mais uma vez, pergunta parva e até está algo deslocada com as restantes que são só banalidades.

GOSTA DE TEMPESTADES?
Gosto. Sabem bem e refrescam. Fartam-de de fertilizar os campos.

DESPORTO?
Playstation. Concursos de arrotos. Levantamento do computador portátil.

PASSATEMPOS E HOBBIES?
Playstation, concursos de arrotos e portátil também. de vez em quando vou para Tomar trabalhar, sempre dá para descansar a vista.

FOBIAS E MANIAS?
Balões. As manias basta ver uns posts abaixo em mais um chain-pintelho que recebi previamente.

QUANTAS VEZES O SEU NOME JÁ APARECEU NOS JORNAIS?
Espero que nenhuma.

CICATRIZES NO CORPO?
Várias. No olho direito (olho mesmo), três ou quatro na mão esquerda, perna direita...

DE QUE SE ARREPENDE DE TER FEITO?
De responder a estas coisas. E de mais nada. O que está feito está feito e não vale a pena chorar sobre o leite derramado.

COR FAVORITA?
Laranja.

UM LUGAR ONDE VOCÊ NUNCA ESTEVE E GOSTAVA DE IR?
Buraca

MANHÃS OU NOITES??
Manhãs.

O QUE TEM NOS BOLSOS?
A chave do canto mais escuro da tua alma...

QUE FARIA SE FOSSE PRIMEIRO-MINISTRO?
Instituia um regime totalitário e obrigava toda a gente a venerar-me.

SE GANHASSE O EUROMILHÔES QUE FARIA AO DINHEIRO?
Comprava o Blogger ao Google e mandava-o fechar.

SE LHE CAISSE NAS MÃOS A LÂMPADA DE ALADINO O QUE FARIA? QUE DESEJOS PEDIRIA?
Faria desejos não para mim mas para a familia e amigos. Ah, e instituia o regime totalitário à mesma.

SE O MUNDO ACABASSE HOJE ÀS 23h59m QUE FARIA ATÉ LÁ?
Era até lhe saltar a pele! De que me interessa se ficava esfolado se depois ia desaparecer à mesma?

SE TIVESSE UM FILHO SEM SABER COMO, SEM RAZÃO NENHUMA, QUE FARIA?
Zarpava dali para fora a todo o vapor.

Agora, só para ser cabrão, volto a não passar a ninguém

Insólitos Yorn

Acho que hoje vi uma freira a voar com o vento.

21/11/2006

Como fazer as coisas bem e como fazer as coisas mal

Como fazer as coisas mal:



Michael Richards, o Kramer do Seinfeld, passa-se com um heckler* e tenta mandá-lo abaixo da pior maneira possível, e falha redondamente. Não me espantaria nada que:

- a sua carreira rescussitasse brevemente, antes de cair ainda mais fundo na obscuridade
- fosse directamente para o fundo do poço e nunca mais de lá saísse.

Podia ter aprendido com o melhor deles todos na arte de responder aos hecklers, Bill Hicks; no primeiro vídeo uma mulher bêbeda exclama "You suck". No segundo, um anormal pede-lhe para cantar o "Freebird":





Gosto particularmente das linhas "I want you to go find a fucking SOUL" (1º vídeo) e "Hitler had the right idea, he was just an underachiever: Jews, americans, mexicans, whites, KILL THEM ALL!" Aconselho a que oiçam (num eMule perto de vocês) os dois melhores albúns dele, Arizona Bay e Rant in E Minor, ambos gravados quando ele já sabia que sofria da doença que eventualmente o matou - e por essa mesma razão, muito mais ácidos.


*aqueles anormais que gritam para o palco a desestabilizar os artistas

18/11/2006

Cinco manias (mais um chain-coiso)

Ficam aqui em primeiro lugar as regras do jogo.

"Cada bloguista participante tem de enunciar 5 manias suas, hábitos muito pessoais que o diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher 5 outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue".

Mania 1 - Após começar a conduzir, tenho sempre o hábito de abrir uma fresta em ambas as janelas da frente (primeiro a esquerda, com dois toques e depois a direita com um toque só) e carregar no "lock doors" do meu carro. É quase uma coreografia.

Mania 2 - Usar um par de sapatos até que este se desfaça, trocando-os poucas vezes, faça chuva ou faça sol. Acabo a comprar sapatos novos apenas quando os outros já começam a apresentar fadiga no material. Contudo, o último recenseamento revelou 9 pares de calçado perfeitamente funcionais.

Mania 3 - Personalizar os ambientes de trabalho que utilizo. Na CUF-ADP colei uns símbolos do IST junto à mesa e outras coisas (capacete de fábrica, esse então, foi tudo xunado), na Nazaré arrumei o meu canto ao meu gosto, no LabSOP então nem se fala, estou praticamente transformado num gestor de espaços daquilo (até já fotos tem e tudo e uma pseudonewsletter...).

Mania 4 - Mesmo que não tenha grande intenção de trabalhar em casa, acabo sempre a passear coisas de trabalho no caminho IST-casa e casa-IST. Na maior parte dos dias vão e voltam tal e qual, sem lhes tocar. Mas ao menos ficam sempre comigo para quando me dá aquelas vontades loucas de trabalhar.

Mania 5 - Quando estou sozinho em casa, gosto de ter a luz ligada apenas na divisão onde estou. No entanto, essa luz será sempre potentíssima, ainda no outro dia andei a trocar umas dez lâmpadas incandescentes relativamente fracas por outras de longa duração mais luminosas que as anteriores.

E só para chatear, não passo a ninguém.

Falta de saliva

Como se não tivesse já suficiente sarna para me coçar durante a semana, decidi que haveria de queimar completamente um dia de descanso, ao acordar todos os sábados de manhã para ir ao Goethe ter aulas de alemão. Digamos que já tive decisões mais inteligentes na vida. Podia ter escolhido um horário com os dias da semana, mas nããããããããããão. Tinha que ser sábado. E logo três horas consecutivas da coisa.

Para além de estar nas aulas "ligeiramente" ensonado (NOTA: ligeiramente poderá ser um eufemismo), acabo as aulas todas sem saliva. Muito gosta aquela gente de cuspir, pá. E logo na segunda aula já andávamos nós a cuspinhar-nos a tentar pronunciar "Welche Sprachen Sprechen Sie?" e demais palavras cheias de sons sibilantes.



Alguém algures tinha uma teoria que se o francês era a língua do amor, então o alemão era certamente a língua do ódio. Os alemães que tenho vindo a conhecer até são altamente simpáticos e inteligentes. Mas quando falam na sua língua nativa parece que estão a insultar-nos forte e feio, mesmo que nos estejam a elogiar. Enfim. São apenas incompreendidos. A agressividade natural da língua deles parece tomar conta das impressões que as pessoas geram sobre eles. Ou isso, ou eles portam-se bem no estrangeiro e são uns sacanas na sua terrinha, mas nunca lá fui para confirmar isso ao vivo.

Em todo o caso, a pronúncia deles quando tentam falar português é gloriosa. Tenho que me conter um bocadinho (ao início era mesmo dramático) para não me rir e exclamar "você fala como um desenho animado!". Porque era essa a minha vontade.

Já tenho conhecimentos suficientes para ir a um restaurante e não mandar vir túbaros de porco. Ou outras coisas mais "alternativas" (leia-se: más).

09/11/2006

Estado do trabalho nos últimos tempos


(não, não está a correr mal, mas só vejo é vapor vapor vapor à frente)

07/11/2006

Ferramenta - o aftermath

Bom, cá estou em Tomar, é terça-feira e ainda estou vivo (ou o meu espirito conseguiu arranjar maneira de pressionar as teclas do computador, não interessa).

O converto foi muito giro, mas a experiência de entrada foi das mais bizarras que alguma vez vi. Chegando lá ao Atlântico ainda antes das 20h - os Mastodon entravam às 20h30 - deparamo-nos, eu e o evil twin, com uma fila brutal. Mesmo brutal. Estupidamente grande. Após dar umas voltinhas no espaço, somos reencaminhados por seguranças muuuuuito simpáticos para o outro lado do pavilhão onde se iam abrir novas portas de acesso à plateia. Lá chegados, começa o caos.

Havia duas filas de entrada naquela secção, e apenas UM polícia em ambas para revistar toda a gente. Mais ainda, não estavam a permitir a entrada de máquinas fotográficas nem de isqueiros (boa, até parece que metade da malta não fica lá a fumar brocas nem nada...). Resultado: mais de uma hora para conseguirmos entrar, e até estávamos bem coloicados na fila. Entretanto, os Mastodon tocavam lá dentro e a multidão impacientava-se. E com razão.

Lá apanhei 3 músicas dos Mastodon. Nada maus, mas via-se que o nível de adeptos deles ali era zero ou quase. Mas esforçaram-se, e isso é sempre bom.

Os Tool entraram em palco às 22h05m, e ainda estava gente a entrar. Tocaram, por esta ordem:
1 - Stinkfist
2 - The Pot
3 - Forty-Six & 2
4 - Jambi
5 - Schism
6 - Rosetta Stoned
7 - Sober
8 - Lateralus
9 - Vicarious
10 - Aenema

Foi a terceira vez que os vi ao vivo. Desta vez o tio Maynard (o que canta) entrou em palco com um mohawk, equipado com uma máscara anti-gás que tinha um dos filtros removido e nesse sítio estava adaptado um microfone (e ficou assim o concerto todo, ele conseguia beber água não sei como). Antes já o tinha visto entrar com chapeu de cowboy (SBSR 2006) e todo pintado e às escuras (Ozzfest).

Os fãs de Tool são dos mais bem educados que já vi, saltam pouquíssimo ou nada, não andam aos encontrões, fumam pouco (!!) e não se amontoam - e eu estava relativamente bem colocado. Mas também digo que estou a ficar velho para ver concertos em pé. Para a próxima é na bancada.

Veredicto: Muito bom concerto, apesar da frustração gigante que foi tentar entrar lá para dentro. E desta vez começaram só com 5 minutos de atraso, das outras duas vezes foi sempre com mais de uma hora devido a problemas com o raio dos projectores que eles usam. Desta vez tinham lasers e tudo, yee-haw!

05/11/2006

Tool


Hoje aqui o menino vai ver estes meninos ao vivo. Já os vi duas vezes antes, em festivais - Ozzfest em 2003 no belo Estádio do Restelo; e Super Pop Super Limão 2006 no Parque Tejo coberto de mosquitos/insectos muito chatinhos que estavam em todo o lado, os sacanas.

Vai ser glorioso, espero eu.

Se amanhã não voltar vivo ao trabalho, por favor mandem o meu fígado e os meus rins por fax para o centro de transplantes. Obrigado.

02/11/2006

Som #40 - murro nos queixos

Subtle - The Long Vein of the Law

Têm que ver este vídeo. A sério.

Tenho que confessar que pouco sei sobre esta banda. Muito pouco mesmo. Acho que são do Texas. Nem sequer consigo categorizar o tipo de música que fazem: electro? Rap? Alt.Rock? Não sei.

Sei que, há coisa de um ano atrás, mais litro menos litro, estava eu e o meu irmão a ver a MTV2 às 02h da manhã e de repente salta este vídeo para a frente. Sei que ficámos mesmerizados a olhar para isto. Visualmente é fenomenal, e infelizmente é o tipo de vídeo que não passará (quase) nunca na MTV normal ou no VH1 ou nos outros canais de música mais comerciais. E é uma pena.

Na manhã seguinte, cada um de nós sacou os mp3 desta banda, de tão intrigados que ficámos, não só com o som mas com as imagens.

Aparentemente, este vídeo é o segundo de uma trilogia em que o primeiro é a música "F.K.O." e o terceiro chama-se "Swan Meat". Os autores do vídeo são um grupo visual Norueguês/Japonês chamado SSSR. Nunca tinha ouvido falar deles, mas vou tentar descobrir algo mais.

Vejam!


27/10/2006

A EMG foi OK

Primeiro dos primeiros: recuperei o meu computador, desta vez levou umas quantas partições no disco para ver se consigo isolar o mau sector que lhe anda a causar as chatices. Agora vem a comédia.

Fui hoje fazer a ElectroMioGrafia, ou EMG, referida dois posts abaixo. Cheguei ligeiramente atrasado à Clínica CUF Sta. Maria de Belém, graças ao valente trânsito lisboeta, mas tudo bem porque não havia sido chamado.

Enquanto espero estava lá, ao meu lado também para fazer uma EMG um senhor ucraniano de seu nome Oleg (sei o nome porque a enfermeira o chamou assim). O senhor Oleg, para quem me conhece, era maior que eu em tudo. Mais alto, mais encorpado, e com um olhar de quem come criancinhas ao pequeno-almoço. Este senhor impunha respeito.

Mais a mais porque o senhor Oleg das três uma:
- ou andou na tropa
- ou andou na prisão
- ou pertence a uma máfia ucraniana
digo isto porque o cavalheiro em questão tinha uma tatuagem na mão esquerda, no metacarpo do polegar. Não a entendi porque estava em alfabeto cirílico. Mas pronto, como era feita a azul-cor-de-prisão e era mal-feita e com traço grosso tal-e-qual-como-na-choça-ou-na-tropa, presumi que o Sr. Oleg era rijo como uma viga e feroz como um touro.

Ele entrou antes de mim, para fazer exactamente o mesmo que eu fiz.

Afinal o Sr. Oleg tem medo de agulhas. Sempre que o médico lhe espetava uma agulha (pelo menos 5 picadas na perna afectada) o cavalheiro mandava um berro. E como temos que flectir os músculos enquanto as agulhas estão espetadas, o Sr. Oleg fazia sentir-se em no terceiro andar da clínica ao berrar "Au, pára pára, dôi, dôi!". Bem que ouvia o médico a tentar acalmá-lo, mas nada.

Resultado: o Sr. Oleg demorou quase 30 minutos a completar o exame. E sai de lá completamente combalido, a andar agarrado à parede (juro!).

Depois desta demonstração aterradora de dor e sofrimento, qualquer um ficaria assustado antes de entrar para o exame. Mas aqui o vosso intrépido escriba vira-se logo para o médico quando entra e pergunta: "mas afinal vai fazer-me o quê, que deixou ali o outro paciente aos berros?".

Responde ele: "primeiro vou dar-lhe uns choques eléctricos, e depois vou espetar-lhe umas agulhas".

Fiquei logo mais descansado. CUM CATANO! :P

Começa o exame. Pergunto sobre a intensidade dos choques. "Ah e tal, isto são só alguns miliAmpéres". "Tudo bem", digo eu. Vira-se ele "Mas a diferença de potencial é que são uns 220V". De repente vem-me à cabeça os gritos do nosso camarada soviético.

E o médico manda-me um choque e mal o sinto. "Foi só isto?". "Não é mais que isto", responde ele. O choque não se sente sequer, a sensação é igual a testar o reflexo no joelho com um martelinho. É mesmo só isso. "Oh Doutor, mande lá mais choques que isso nem se sentiu". E manda mais uns dois ou três, fraquíssimos enquanto dizia "não o quero fritar, pá, choques eléctricos não são tortura!". E riu-se. AI NÃO??? Vou dizer isso ao Oleg então. Ou aos presos políticos.

Começa o festival do furinho. Começa a espetar-me agulhas perna acima e perna abaixo, enquanto pede para flectir músculos variados. Para variar, nem sentia a agulha a entrar pelo músculo adentro, nem a sentia enquanto tinha que flectir o músculo respectivo onde a dita cuja estava espetada. Maldito sejas Oleg, pregaste-me um cagaço com um exame que não doeu nadinha de nada. Na União Soviética aposto que faziam-te o exame com agulhas de tricot ferrugentas, ainda se queixava ele de umas picadinhas de nada. Volta lá para a tua máfia a espancar as pessoas, que o teu medo de agulhas fica bem seguro comigo.

Ah, e o resultado do exame: nada na perna, pode ser algo na coluna (ah pois, depois de me furar ambas as pernas ainda levo com a agulhas nas costas), mas nada para me preocupar para já.

Mas tenho uma pontaria com aquele terceiro andar da CUF... quando fiz a endoscopia alta estava uma mulherzinha no gabinete do lado a fazer uma baixa e a berrar a plenos pulmões. Desta vez foi o nosso camarada aos berros. Será que a minha presença traz dor e sofrimento aos restantes pacientes?



P.S.- Agora que está mais ou menos provada a minha insensibilidade a agulhas na pele (algo que eu já desconfiava), acho que vou fazer uma tattoo.

24/10/2006

Ain't that a bitch?!

O meu fiel Tobichazito voltou a armar-se em parvo e volta a não arrancar com o sacana do Windows, para além de agora fazer unsruídos esquisitos com o disco rígido.

Quem é que tem curiosidade de ver como fica um computador portátil depois de sujeito a uma pressão de 600 bar numa prensa de hardboard*? É que é mesmo essa a minha vontade neste momento.

E lá fora chove. E quando pára de chover, chove mais um pouco. Depois de chover, chove mais um bocadinho. Parece que estamos num qualquer vale britânico (a única pista em contrário é o facto de aqi em Tomar se conduzir à direita, porque senão era facilmente confundível).

Lisboa, volta, está tudo perdoado! Nunca mais te deixarei, prometo! Quem me tira aquela poluição toda, o maralhal na rua, os autocarros da Carris, o metro, a confusão nas lojas, os preços exorbitantes dos restaurantes, os vendedores na rua "é prá chuva a cinqu'euros, a cinco", o Rio Tejo - aqui o Rio Nabão não dá pica nenhuma, mero afluente - e o cheiro a castanhas assadas na Baixa ou no Marquês ou no Cais ou junto à estação de Algés, tira-me tudo. Aqui tenho sossego, vistas e... pouco mais.

Mas não me queixo (muito). As gentes são simpáticas. O trabalho é abundante e interessante. E tenho um gabinete com chão vibratório (sim, chão!).

*Nota: estou a trabalhar numa fábrica onde existe a dita cuja.

19/10/2006

Eiia cum catano! Vai buscá-lo!


W00t! Soube a semana passada que vou fazer uma electromiografia! Fenomenal! Consiste em enfiar eléctrodos (leia-se: agulhas) no músculo afectado e medir a resposta eléctrica. Podem ler o que diz a wikipedia sobre o procedimento:

"To perform EMG, needle electrodes are inserted through the skin into the muscle tissue. A medical doctor (most often a physiatrist or neurologist) observes the electrical activity while inserting the electrode. The insertional activity provides valuable information about the state of the muscle and its innervating nerve. Normal muscles at rest make certain, normal electrical sounds when the needle is inserted into them. Then the electrical activity when the muscle is at rest is studied. Abnormal spontaneous activity might indicate some nerve and/or muscle damage. Then the patient is asked to contract the muscle smoothly. The shape, size and frequency of the resulting motor unit potentials is judged. Then the electode is retracted a few millimeters, and again the activity is analyzed until at least 10-20 units have been collected. Each electrode track gives only a very local picture of the activity of the whole muscle. Because skeletal muscles differ in the inner structure, the electrode has to be placed at various locations to obtain an accurate study."

Tudo isto porque há umas 3 semanas que tenho uma dor constante na face exterior da coxa esquerda. Tal e qual o House. Será que vou passar a andar de bengala e a tomar Vicodins como se fossem rebuçados? É que dá um estilo imenso...


(dispenso a barba e o look blazer+ténis costumeiro do personagem).

O fim está próximo! Fujam!

Toda a gente se ria de mim quando eu aformava a pés juntos que um dia os peixes iriam exterminar os humanos e dos outros animais terrestres...

...ninguém levava a sério a minha ictiofobia...

mas a profecia está a concretizar-se. Primeiro morreu o Steve Irwin, agora isto:

Leaping stingray stabs Florida man near heart


Só há uma solução! Rápido, temos que fugir para as montanhas, eles não nos apanharão lá!

17/10/2006

5000

E pronto, de ontem para hoje houve aqui uma reviravolta e o contador passou um número redondo muito bonitinho: 5000. Nada mau...

Obrigado a todos os que se dão ao trabalho de vir cá ver as modas. A imaginação e número de posts são inversamente proporcionais à quantidade de trabalho que tenho (ultimamente então...) mas eu faço um esforço. Obrigado.

O que responder...?

A minha mãe ontem foi à farmácia e decidiu, por sua livre e espontânea vontade, trazer-me uma caixa de tratamento anti-queda Dercos.

O que é que eu lhe respondo?

1) Obrigado mãe, estou de facto com falta de cabelo embora ainda não seja nada de bradar aos céus.
2) Obrigado mãe, estou de facto com queda de cabelo mas a genética é f***da e não vale a pena usar estas coisas para retardar o inevitável.
3) Porra mãe, estou assim tão mal?
4) *atirar com a caixa ao chão e ir a correr para o quarto a chorar inconsolavelmente*

O que é que vocês fariam?

15/10/2006

3 momentos brilhantes em televisão

1 - Todo o último episódio da oitava série do ER (o episódio em que o Mark Greene morre).

2 - A cena no penúltimo episódio do Sex and the City em que as amigas estão sentadas à mesa com o Big. A ruiva (Miranda) não diz nada até ao último momento - "go get our girl". São estas pequenas coisas que fazem uma grande actriz. A expressão dela em toda a cena é digna de um livro ou de uma pintura.

3 - Os grandes planos do Top Gear. Já li algures que mostram programas inteiros da série em escolas de realização e imagem para se ver o que se faz bem. Um episódio em particular me marcou, em que estava a nevar e o sol a pôr-se em simultâneo, enquanto passava o tema do Twin Peaks (ver abaixo).


12/10/2006

Desgraça completa

O meu fiel Tobichazito, que me acompanha diariamente vai para quatro anos teve um problema de saúde grave e teve que ser formatado.

Perdi as moradas de e-mail de toda a gente, por isso agradeço às almas caridosas que lerem esta mensagem que me mandem um e-mail com a vossa conta habitual para:

pedrorochaalmeida AT yahoo dot co dot uk

para poderem voltar à lista.
Agora toca a instalar tudo outra vez: antivirus, firewall... Office... Photoshop... raiva

10/10/2006

Som #39 - ainda não acredito que estes gajos morreram

Mamonas Assassinas - Vira-Vira


Mamonas Assassinas - Robocop Gay (ao vivo)


Foi um grande desperdício, não haja dúvidas...

02/10/2006

Som #38 - Os Parodiantes do Texas

Pantera - F***ing Hostile




Com letras "alternativas". Do melhor. Glorioso.
Mesmo quem não gosta de metal e/ou ache os Pantera algo desactualizados (que até estão) ou demasiado rednecks (que até são), vejam a letra.

Silêncio

Pela primeira vez em 15 dias, o silêncio absoluto enquanto trabalho.
É oficial: a produção parou. Está ali a manutenção.
Graças ao Senhor, porque agora até me consigo ouvir a pensar (coisa rara, o ouvir e o pensar também).

01/10/2006

Males que vêm por bem


Hoje acordei algures às 06h da manhã com demasiadas dores nas costas para sequer conseguir ficar deitado. Tive que me levantar.

Por outro lado, liguei a televisão e estava a começar o GP da China em F1, que não estava a contar em ver.

Que grande corrida que foi. Valeu a pena a noite extremamente mal-dormida.


P.S. - Alguém conhece algum bom médico ortopedista? Eu tenho MESMO que ir ver o que se passa comigo...

27/09/2006

Na mouche

"Amateur media scholar: It's not called Lost because they're lost. It's called Lost because the audience can't follow it."

Aproveito para realçar que não só não costumo seguir, como quando comecei a ver (primeiros episódios) não gostei do que vi.

Mas quem gosta, força nisso. Eu também gosto do Twin Peaks e muita gente não ia lá nem à lei da bala (dou um doce a quem conseguir traçar paralelismos entre as duas séries. Eles existem).

Som #37 - a vez dos portugueses

Ukurrale - O Xuning Espera por Ti

(...sem palavras...)

22/09/2006

Hamster sofre um precalço, mas está a voltar lentamente

O cavalheiro dos vídeos abaixo, Richard Hammond, conhecido afectuosamente por hamster devido á sua energia e baixa estatura, é um dos três apresentadores do Top Gear, programa da BBC dedicado ao mundo automóvel.

Esta quarta-feira sofreu um terrível acidente ao volante de um dragster (aqueles carros que só andam em frente, muito depressa, e depois usam um para-quedas para travar) movido a jacto, numa tentativa de quebrar o recorde britânico de velocidade em terra. Estava a deslocar-se a mais de 500 km/h.

O seu estado passou de "crítico" para "estável mas com prognóstico reservado" para "estável" em apenas dois dias. Os médicos diziam com toda a certeza que tinha sofrido danos cerebrais mas já conversa e aparenta normalidade nas suas reacções.

Bela maneira de enganar a morte.

E vejam só as judiarias que o obrigavam a passar:




21/09/2006

Dia de chuva

Não sei porquê mas hoje acordei (em Tomar) cheio de frio (por razões óbvias) e com esta música completamente entranhada na cabeça. E não sai por nada. Pensei em exorcizá-la via blog a ver se sai de uma vez por todas da tola. Saiam, saiam, demónios da estupidez!!

A versão que me está entranhada é esta:

Mas o original é esta:

Já agora, a música aqui do lado é sobre um belo dia de verão. Parece irónico, não é?

20/09/2006

Primeiras Impressões de Tomar

1 - A cidade é muito bonita para se visitar, mas um inferno para o visitante comum que não mora cá. Passo a explicar:
Não há lugares de estacionamento, pura e simplesmente. Das duas noites que já cá fiquei, passei montes de tempo à procura de um lugar para deixar o carro. Escusado será dizer que nunca ficou minimamente perto do sítio onde estou (mínimo de 5 minutos a pé). Existem silos de estacionamento, mas das duas uma: ou se é residente, ou se paga o c* e três tostões para deixá-lo lá por uma noite. No thank you.

2 - Sofre de problemas de interioridade: É QUENTE.

3 - Estou alojado na Residencial Cavaleiros de Cristo. Estou bem instalado, mas o quarto é microscópico e se tiver 3x4 metros já é muito. Ao menos tenho casa-de-banho no quarto e lençóis limpinhos todos os dias. Tenho é uma bela vista para uma parede. Os quartos do outro lado têm vista para o Rio Nabão.

4 - Nesta cidade parece que tudo tem uma referência religiosa: Cavaleiros de Cristo, Convento de Cristo, montes e montes de Igrejas, cruzes por todo o lado, nomes de ruas consagrados a santos e divindades variados. Até tem uma sinagoga que foi convertida em museu.

5 - Tomar tem cerca de vinte mil habitantes, dos quais cerca de dois andam na rua à noite. Completamente desértico, até os cafés estão fechados ou vazios. Nem cães vadios andam aqui a rondar. De notar que os passeios andam sempre limpíssimos.

6 - Fui conhecer o Torres Shopping, em Torres Novas (uns 25-30 lm de distância). Ninguém sabe estacionar. Os tracinhos no chão que delimitam os lugares estão lá simplesmente para enfeitar porque metem os carros todos tortos E a ocupar dois lugares à vez. Impressionante. Na zona das comidas, trabalham com uma parcimónia a que este menino de Lisboa se custa a habituar. E tem moscas. Muitas moscas.

*EDITADO*

Mais pensamentos as they come...

16/09/2006

Mudança de ares

A partir de segunda-feira este vosso conviva vai mudar-se de armas e bagagens durante 4 dias da semana para Tomar. Segundas, terças, quartas e quintas serão passadas junto a Castelo de Bode a ver madeira ser desfibrada e prensada. Trabalho a quanto obrigas.

Se a quantidade de posts diminuir, já sabem do que foi.

Desejem-me sorte.
Paz a todos.

10/09/2006

Agüenta, coração!


Hoje, este senhor da foto anunciou que vai deixar a Formula 1 no final desta época. Pode não ter jogado limpo sempre, pode ser um arrogante, mas que raio, é também o melhor piloto de Formula 1 de todos os tempos, a par com o malogrado Senna (que também era um real cabrãozinho, encravou duas vezes o Prost em Suzuka - 1989 e 1990).

Em 15 anos no desporto foi ele quem deu mais à Formula 1. Lembro-me da sua corrida de estreia em Spa (chiça, estou a ficar velho...). Nem sempre estive do lado dele, ainda tenho uma relação de amor-ódio por resolver, mas é preciso reconhecer o seu imenso talento e total dedicação à Formula 1 e à Ferrari.

Vai deixar saudades.

6 Maravilhosas coisas 6 (seis) aleatórias sobre mim

1 - Tenho um irmão gémeo homozigótico. Esse dito irmão gémeo ficou "famoso" (entre muuuitas aspas) porque fez figuração na última série de Gato Fedorento, e de vez em quando alguém me pergunta se eu apareci na televisão, tendo sido a última delas há 3 dias atrás.

2 - Tenho um conhecimento quase enciclopédico e completamente inútil de quase todas as carreiras da Carris, devido ao facto de o meu pai e um tio meu lá terem trabalhado. Antigamente era capaz de decorar o número dos autocarros (número de carro, não de carreira) e chegava a identificar uns quantos pelo barulho que faziam do motor/travões (só funcionava com os velhos, estes novos fazem todos o mesmo).
Agora a Carris modificou parte das carreiras (ONTEM!) e o mais engraçado/triste é que já sei as alterações de quase todas. Das coisas importantes não me lembro, das triviais e superfluas fica tudo na memória. Caraças.

3 - Costumo carregar o meu computador portátil para todo o lado, sendo nele que carrego em quase-permanência todos os meus trabalhos, tanto os de engenharia como os de fotografia. Mas muitas vezes acaba por ficar encostado ou trabalha pouco. Tenho uma baixa tolerância para trabalho de secretária.

4 - Perdi 17 kgs em 5 meses, em virtude da úlcera que me foi diagnosticada e dos cuidados que tive que passar a ter com a alimentação e a dose industrial de comprimidos que passei a tomar. Grande parte da roupa que tinha deixou de me servir, pura e simplesmente, e um dos meus cintos que servia perfeitamente agora não segura as calças nem no último furo (comprei um novo, assim como comprei muita roupa nova).

5 - Tenho o fantático hábito de trocar de telemóvel em todos os meses de Abril, seja por um motivo ou outro. Em 2004 perdi o meu Nokia 3510 no Colombo e arranjei um 3200. No ano de 2005 esse dito Nokia caiu-me do bolso das calças (estava precariamente equilibrado) e nunca mais se ligou (entretanto foi reparado). Toca a comprar um Nokia 6610i, que sempre me deu imensos problemas (software, qualidade e volume do som, etc). Chegando a Abril deste ano, passei numa loja Nokia e queixei-me do problema de ter o volume muito baixo. Após constatar do problema, o assistente disse que de facto tinha que ser arranjado e que demoraria 4 semanas. Pedro escolhe logo ali na hora o Nokia 6103 para o substituir. Até agora é este que perdura, e gosto imenso dele, espero que chegando a Abril não vá para o galheiro.

6 - Tenho, algo estranhamente, muito poucos amigos machos. Entre amigos a sério, serão no máximo uns quatro. Serei normal? Também gosto de ir às compras com elas, revelando uma paciência de santo que só se gasta normalmente à entrada da sexta ou sétima loja consecutiva.

Veio daqui

09/09/2006

Som #36 - "antigamente é que era"

Soundgarden - Black Hole Sun

Ainda o tio Chris Cornell se dava com os outros elementos da banda. Matt Cameron (o baterista) juntou-se depois da destruição aos Pearl Jam (perdoem-me os puristas, mas este sim é o baterista que os PJ sempre precisaram). Kim Thayil e Ben Shepherd desapareceram na obscuridade e mal se fizeram notar novamente. O tio Chris, obviamente, lançou uma carreira a solo com algum sucesso e agora anda a cantarolar com os Audioslave.

Porque é que as bandas boas acabam sempre por se auto-destruir? Alice In Chains, Faith No More, Death from Above 1979... poderia continuar, muitas há nesta situação.

Porquê Soundgarden e não Audioslave? Simples: gosto mais de Soundgarden. Música mais rica em texturas e com menos medo de experimentar (conferir spoonman ou The Day I tried to Live para prova). Embora o Tom Morello fosse muito inventivo com os Rage, nunca fui grande fã desse estilo particular. Com os Audioslave aparentemente ficou mais manso. Pena o Chris não tocar mais guitarra na banda.

Esta música: Brilhante. Mais que o "Smells like teen spirit", esta é para mim a música mais emblemática da geração grunge.

Este vídeo: Brilhante, na sua surrealidade. Parece algo saído de um filme de David Lynch. Foi praticamente banido da MTV devido às suas imagens perturbadoras. Nice.




Letra:
In my eyes, indisposed
In disguise as no one knows
Hides the face, lies the snake
The sun in my disgrace
Boiling heat, summer stench
'Neath the black the sky looks dead
Call my name through the cream
And I'll hear you scream again

Black hole sun
Won't you come?
And wash away the rain
Black hole sun
Won't you come?

Stuttering, cold and damp
Steal the warm wind, tired friend
Times are gone for honest men
And sometimes far too long for snakes
In my shoes a walking sleep
And my youth I pray to keep
Heaven send hell away
No one sings like you anymore

Black hole sun
Won't you come?
And wash away the rain
Black hole sun
Won't you come?

Hang my head, drown my fear
Till you all just disappear

07/09/2006

No seguimento do Snakes on a Plane...

I Have Had It With These Motherfucking Mongooses Foiling My Motherfucking Terrorist Plots

Airport security guard #1: Hey, I gotta get me a mongoose.
Airport security guard #2: Yeah, man. Gotta keep them cobras off them planes.

--JFK


via Overheard in New York, Sep 7, 2006

03/09/2006

Pergunta...

No início das relações, começa-se por contar segredos.
Porque é que no fim se contam mentiras?

(food for thought)

29/08/2006

Melhor título de filme de sempre?



Um filme que se chama Snakes on a Plane só pode ser uma de duas coisas: ou bom, ou tão mau que dá a volta e passa a ser bom (mas por outros motivos).

Além do mais, tem o Samuel L. Jackson a proferir a não-tarda-nada-a-ser-imortal linha de I've had it with these motherfucking snakes on this motherfucking plane! Glorioso!

Alguém quer ir ver quando estrear?

28/08/2006

Conhecem o jogo "Six Degrees to Kevin Bacon"?...

... consiste em pegar num actor ou actriz qualquer e tentar ligá-lo/a através de outros actores com quem tenham contracenado em filmes até chegarem a uma conexão com o Kevin Bacon, usando para isso um máximo de seis conexões (mas preferencialmente menos).

(ler mais aqui)

Mike Patton podia ser a variante musical desse jogo. Já deve ter tocado com tudo e todos na cena musical americana, desde o músico Jazz ao metaleiro mais pesado, passando por artistas rap, pop e todos os sabores intermédios.

Vai agora para a barra da direita a sua colaboração com Dan "The Automator" Nakamura, o cérebro por traz dos Gorillaz, chamada Lovage, com o tema Anger Management. Tem este excelente refrão:

...and the music was like wind in your hair
...the moonlight caressed her sillhouette
...kiss of ocean mist is in the air
...why must God punish me this way?


24/08/2006

Novos brinquedos

... aqui no blog.

Agora na barra lateral há um radiozinho (a pilhas) onde se pode ouvir uma musiquinha (literalmente uma!) sem estar a carregar os videos pesados do youtube. Não só é mais leve, como também permite pôr aquela música mais obscura que não tem vídeo.

Deliciem-se com The Gentle Art of Making Enemies, dos Faith No More. Esta letra merecia um prémio Camões...

Plutão despromovido

Plutão perdeu o estatuto de planeta.

Triste vida a de astro...

22/08/2006

"Nú descendo a escada"

 Posted by Picasa

Som #35 - Música para dias melancólicos

Hoje é um deles

Mad Season - River of Deceit

Os Mad Season* foram um grupo com muito curta vida. Basicamente um super-grupo da era grunge, formado por Layne Staley (vocalista dos Alice in Chains), Mark Lanegan (vocalista dos Screaming Trees, e mais tarde, de algumas músicas dos Queens of the Stone Age), Mike McCready (guitarrista dos Pearl Jam), Barrett Martin (baterista dos Screaming Trees) e John Baker Saunders (baixista, não pertencia a grupo nenhum, era amigo do Mike).

História curiosa, a formação desta banda e a sua curta vida: Mike junta uma data de gente. "Bora gravar um album!", alguém disse. Em dez dias estava o mesmo albúm escrito e gravado (chama-se Above) e foi lançado em 1995. Segue-se uma tournée com apenas oito datas. E assim acabou. Voltaram todos para as suas bandas principais para fazer mais albúns (AIC lançaram o Tripod; Pearl Jam lançaram o No Code; Screaming Trees lançaram o Dust; e John Baker Saunders voltou a enrolar charros, ou lá o que era que fazia antes). Deixaram para trás um grande albúm.

Esta "River of Deceit" já a conheço há algum tempo. Só há coisa de alguns dias é que descobri que tinha um videoclip (que passou apenas uma vez na MTV - isto é que eu chamo de dinheiro bem gasto). Não é uma música para dias felizes. Nem sequer sei para que dias se destina. Sei que é um bom exemplo do "menos é mais". Tudo muito calmo. Mal se nota a presença individual de cada instrumento, crescendo todos para formar um todo, muito nú, mas muito completo. A emoção na voz de Layne transparece a cada frase. Cada um que tire as suas conclusões.



Letra:
My pain is self-chosen
At least, so The Prophet says
I could either burn
Or cut off my pride and buy some time
A head full of lies is the weight, tied to my waist

The River of Deceit pulls down
The only direction we flow is down
Down, oh down

My pain is self-chosen
At least I believe it to be
I could either drown
Or pull off my skin and swim to shore
Now I can grow a beautiful shell for all to see

The River of Deceit pulls down, yeah
The only direction we flow is down
Down, oh down

The pain is self-chosen, yeah
Our pain is self-chosen

*Mad Season é um termo usado em Inglaterra para denominar aquela linda época do ano em que os cogumelos psicadélicos estão a amadurecer.

21/08/2006

Finalmente, descobri uma página que explica o meu problema ocular



Imaginem o que é ter montes destas coisinhas a ocuparem permanentemente o vosso campo de visão. Não conseguir ver um céu puramente azul ou uma parede completamente branca porque há sempre risquinhos e pontinhos a rasgar de um lado ao outro.

Imaginem o que é estar a ler ou fazer algum trabalho que exija concentração e terem que estar sempre a abanar a cabeça de lado-a-lado (como se fosse um espasmo) para tirar estas "linhas e pontos" do campo de visão porque deixaram de conseguir ver bem porque se atravessaram à frente do centro da retina.

Imaginem ir ao médico e ouvir que não tem cura e que não desaparece com o tempo.

Muita gente tem isto. Eu desde puto que me lembro de os ter.
Tenho é muitos mais agora. E entristece-me não conseguir tirá-los de dentro de mim.

18/08/2006

As notícias perdidas da semana passada

Miguel voltou

E pousou aqui.

"Por momentos, julgo estar perante um programa da TVI. Mas a ilusão dura pouco tempo. Um simples puxar do autoclismo elimina todas as dúvidas."

17/08/2006

Som #33 e Som #34 - a conexão Josh Homme

Eagles of Death Metal - I want you so hard

Esta banda começou como um projecto lateral - side-project, no original amaricano - de Josh Homme. Josh Homme, como deveis saber, foi guitarrista nos defuntos Kyuss e actualmente é o guitarrista e vocalista dos Queens of the Stone Age. Mas mais sobre eles mais tarde.

Os Eagles of Death Metal nasceram em 1998 para as já famosas Desert Sessions promovidas por Homme (das quais devo dizer que o meu irmão possui algumas em vinil - muita droga se consumia ali...). Como a banda principal de Homme (os QOTSA) estavam em alta desde o lançamento do seu primeiro albúm, só em 2003 é que o workaholic Josh conseguiu sentar-se num estúdio com Jesse Hughes (ele com o bigodinho maravilhoso de molestador de criancinhas) para deitarem cá para fora o seu primeiro albúm, Peace, Love, Death Metal. O nome da banda em si é um história curiosa, e surgiu como surgem muitos nomes de bandas - numa discussão com um bêbedo*. Um certo bêbedo, aparentemente anónimo, uma vez insistia que a banda Poison era Death Metal. Mais ainda, não só eram Death Metal, como eram os Eagles of Death Metal (os Eagles cantam aquela coisa que se ouve 30 vezes por dia no RCP chamada Hotel California, para os mais desatentos ou surdos).

Chegamos a 2006, e a banda edita o seu segundo albúm, novamente com Hughes na voz e Homme na bateria (toca tudo, este homem...), deste vez intitulado Death by Sexy. Nele se encontra este I want you so hard, um digno sucessor ao primeiro single, I only want you. They rock so hard they tear peoples clothes off. YEAAAH! De notar a entrada dos suspeitos do costume - Jack Black, actor e vocalista dos Tenacious D e Dave Grohl, vocalista dos Foo Fighters e baterista dos QOTSA para o seu terceiro albúm, Songs for the Deaf (ambos participaram no albúm).


Letra:
I want you so hard
I want you so good
But can you trust me?
Yes, you know you could
My friends are talkin'
And they're tellin' you

Don't waste your time cause the boy's bad news

My friends are talkin'
And they're tellin' you

Just leave him alone cause the boy's bad news

I want you so hard
I want you so good
Now take a chance, momma
You know you should
Trust your instincts and let me in
Just be my ride and I'll be my friend
My friends are talkin'
And they're tellin' you

You're wastin' your time, the boy's bad news

My friends are talkin'
And they're tellin' you

Leave him alone, cause it's just bad news

The boy's bad news

* - Outros casos famosos são os 1000 Homo DJs e os Revolting Cocks.

Queens of the Stone Age - The Lost Art of Keeping a Secret

Foi este o single que apresentou os QOTSA, a banda "principal" de Homme, ao público mainstream, corria o ano 2001. O tema da letra é bastante obscuro e só recentemente Homme decidiu/conseguiu falar sobre ele: fala sobre um amigo (presumivelmente o ex-baixista da banda, Nick Oliveri) que bateu na namorada/mulher e lhe pediu para guardar segredo sobre o facto (vamos supor que não foi só uma chapadinha, né?). Porque escolhi este tema? Não sei. Talvez porque adore a linha de guitarra. Talvez pelo vídeo quase-surreal. Talvez por ser do meu album favorito deles, o Rated R. Mas podia ter facilmente escolhido o Feel Good Hit of the Summer, bem mais obscuro mas com uma letra fácil de decorar e bastante viciante (sim, trocadilho propositado). Ou o No One Knows, de 2002, que fala em parte sobre o facto de Homme andar a f***r a mulher de outro gajo. Mas correu tudo bem, porque casaram-se e até tiveram uma filha, tendo Homme dedicado In My Head à sua agora mulher. Saudades causadas por andarem sempre em tournée com as respectivas bandas, é tramado.

Letra:
I've got a secret, I cannot say
Blame all the movement to give it away
You've got somethin, I understand
Holding it tightly, caught on command
Leap of faith, do you doubt?
Cut you in, I just cut you out

[chorus:]
Whatever you do
Don't tell anyone
Whatever you do
Don't tell anyone

Look for reflections, in your face
Canine devotion, time can't erase
Out on the corner, locked in your room
I never believe them and I never assume
Still can't believe there is a lie
Promise is promise, an eye for an eye
We've got something to reveal
No one can know how we feel

[repeat chorus 2x]

I think you already know
How far I'd go not to say
You know the art isn't gone
And I'm taking my song to the grave

[repeat chorus]

11/08/2006

Som #32

José Cid - A Pouco e Pouco

Isto, meus amigos, é a verdadeira música portuguesa! Um brilhante vídeo, ainda o Zé Cid via dos dois olhos (Bob? Quem é o Bob?). Toda a subtileza empregue. A riqueza dos planos de câmara. Efeitos especiais de encher o olho! A ironia com que escrevo estas linhas! Sublime! Isto para não falar na qualidade lírica desta peça, num nível completamente acima de qualquer Camões ou Pessoa.


03/08/2006

Som #31 - puro avacalhanço

MC Hammer - U can't touch this

QUEM NUNCA QUIS DANÇAR AO SOM DESTA MÚSICA, QUE ATIRE O PRIMEIRO CALHAU.




Letra:
U can't touch this (x2)
U can't touch this (oh-oh oh oh oh-oh-oh) (x2)
My-my-my-my music hits me so hard makes me say oh my Lord
Thank you for blessing me with a mind to rhyme and to hype beat
That's good when you know you're down
A superbowl homeboy from Oaktown
And I'm known as such
And this is a beat uh u can't touch
I told you homeboy u can't touch this
Yeah that's how we're livin' and you know u can't touch this
Look in my eyes man u can't touch this
You know let me bust the funky lyrics u can't touch this
Fresh new kicks and pants
You got it like that now you know you wanna dance
So move out of your seat
And get a fly girl and catch this beat
While it's rollin' hold on pump a little bit
And let me know it's going on like that like that
Cold on a mission so pull on back
Let 'em know that you're too much
And this is a beat uh u can't touch
Yo I told you u can't touch this
Why you standing there man u can't touch this
Yo sound the bells school is in sucker u can't touch this
Give me a song or rhythm
Making 'em sweat that's what I'm giving 'em
Now they know when you talk about the Hammer
You talk about a show that's hyped and tight
Singers are sweatin' so pass them a mic
Or a tape to learn what it's gonna take
And now he's gonna burn
The charts legit either work hard
Or you might as well quit
That's word because you know
U can't touch this (oh-oh oh oh-oh-oh) (x2)
Break it down
(Oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh oh-oh) (x2)
Stop Hammer time
Go with the flow in a spin if you can't move to this
Then you probably are dead
So wave your hands in the air
Bust throught the moves run your fingers through your hair
This is it for a winner
Dance to this and you're gonna get thinner
Move slide your rump
Just for a minute let's all do the bump
Bump bump bump yeah
U can't touch this
Look man u can't touch this
You'll probably get hyped boy 'cause you know you can't u can't touch
this
Ring the bell school's back in break it down
(Oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh) (x2)
Stop Hammer time
(Oh-oh oh oh oh-oh-oh) (x2)
(Oh-oh oh-oh oh-oh oh-oh)
(Oh-oh oh oh oh-oh-oh) u can't touch this (x3)
(Oh-oh oh oh oh-oh-oh) break it down
(Oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh) (x2)
Stop Hammer time
Every time you see me that Hammer's just so hype
I'm dope on the floor and I'm magic on the mic
Now why would I ever stop doing this
With others makin' records that just don't hit
I toured around the world from London to the bank
It's Hammer go Hammer
It's a Hammer you Hammer and the rest go and play
U can't touch this (oh-oh oh oh oh-oh-oh) (x2)
U can't touch this (oh-oh oh-oh-oh)
Yeah u can't touch this
I told you u can't touch this (oh-oh oh-oh-oh)
Too hype can't touch this
Get me outta here u can't touch this
(Oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh)

29/07/2006

Paraíso Filmes - os cartazes

http://fhf.blogspot.com/2006/07/cartazes-da-paraso-filmes.html

Som #30

Cake - I will survive




Letra:
At first I was afraid.
I was petrified.
I kept thinking I could never live
Without you by my side.
But then I spent so many nights
Just thinking how youd done me wrong.
I grew strong.
I learned how to get along.

And so youre back from outer space.
I just walked in to find you here
Without that look upon your face.
I should have changed my fucking lock.
I would have made you leave your key
If Id have known for just one second
Youd be back to bother me.

Oh now go.
Walk out the door.
Just turn around now.
Youre not welcome anymore.
Werent you the one
Who tried to break me with desire?
Did you think Id crumble?
Did you think Id lay down and die?
Oh not i.

I will survive.
As long as I know how to love
I know Ill be alive.
Ive got all my life to live.
Ive got all my love to give.
I will survive.
I will survive.

It took all the strength I had
Just not to fall apart.
Im trying hard to mend
The pieces of my broken heart.
And I spent oh so many nights
Just feeling sorry for myself.
I used to cry.
But now I hold my head up high.

And youll see me with somebody new.
Im not that stupid little person
Still in love with you.
And so you thought youd just drop by,
And you expect me to be free.
But now Im saving all my lovin
For someone whos lovin me.

Oh now go.
Walk out the door.
Just turn around now.
Youre not welcome anymore.
Werent you the one
Who tried to break me with desire?
Did you think Id crumble?
Did you think Id lay down and die?
Oh not i.

I will survive.
As long as I know how to love
I know Ill be alive.
Ive got all my life to live.
Ive got all my love to give.
I will survive.
I will survive.

26/07/2006

Actualização

Vida muito agitada, nestes últimos tempos. Vamos por partes:

1 - A semana passada tive na terça uma entrevista de emprego (a segunda) para uma empresa que não quero nomear, para já. Correu bem. Saí de lá às 19h e tal.

2 - No dia a seguir fui e vim de Estarreja, com o simples intuito de ir buscar um caudalímetro portátil. Passei metade do caminho a bocejar. O facto de não poder tomar qualquer estimulante não ajuda em nada a fazer os 500 e tal quilómetros que foram a ida e a volta.

3 - Na quinta-feira peguei no dito caudalímetro e fui para a Nazaré. Andei numa roda viva a medir várias coisas. O dito caudalímetro recusou-se a funcionar após a primeira tentativa. Porra. De volta para Lisboa

4 - Sexta-feira, tudo a caminho do Porto para o grande casório do meu irmão. Mais uma valente série de quilómetros arrochado no carro. De caminho, ainda parei em Estarreja para devolver o sacana do caudalímetro. Chegando ao hotel, estava apinhado de bisontes que eram os jogadores das selecções portuguesa efinlandesa de voleibol. Grandes, grandes bisontes. Eu achava que já era grande, mas aquilo realmente abriu-me os olhos.

5 - Sábado, grande casório. Correu tudo bem, não fosse o facto de a minha mãe ter pegado no cabide errado na sexta-feira (estava a trabalhar, a mala estava feito excepto o fato, que ia na mão para ir na vertical no carro para não amachucar) e... não ter fato. Logo, de manhã, tudo a correr para o Norte Shopping para comprar um fato à pressão. Baínhas feitas à última da hora pela agora sogra do meu irmão, que foi uma querida.

6 - Domingo. Volta para Lisboa com o carro cheio de bagagem e tralhas que os noivos receberam de presente. Farto de estrada (já era o 5º dia com viagens grandes metidas pelo meio, até me sentia camionista, já), este vosso escriba virou animal de estrada e fez o percurso S.Mamede de Infesta-Alverca em 2h10m (são cerca de 300kms), incluindo uma paragem para reabastecer na Repsol de Gaia. O Honda Jazz, oficialmente, só dá 172km/h, mas aquilo marcou 190 numa descida. W00t!.

7 - Segunda. De volta ao trabalho. Com uma nova colega de trabalho que andava desaparecida na Dinamarca. Bem-vinda de volta à nossa humilde casa.

Escusado será dizer que ando completamente letárgico e cheio de sono... maldito cansaço. Maldita falta de estimulantes. Maldita falta de férias. Mal posso esperar.

20/07/2006

Som #29 - C-rack that whip...

Devo - Whip It

Lembro-me perfeitamente deste tema. O ano era 1980, e eu era acabado de nascer. Esta banda, criada em 1972, ainda está activa! Todos carecas e desdentados. W00t. Mas continuam a usar estes chapéuzinhos em concerto. Perdão, eu chamei-lhes "chapéuzinhos"? O nome correcto é Energy Domes.

Referências da letra? Não sei. Mas whip it pode ser, tanto quanto sei, chicotear o golfinho. O vídeo, esse, baseia-se numa história que a banda ouviu de um fulano que abriu um rancho para visitantes e cuja atracção nocturna era o dito cujo arrancar as roupas à sua senhora com um chicote perante os hóspedes. Funny, funny stuff.

P.S.- Maria, tá melhor assim?



Letra:
Crack that whip
Give the past the slip
Step on a crack
Break your momma's back

When a problem comes along
You must whip it
Before the cream sits out too long
You must whip it
When something's going wrong
You must whip it

now whip it
into shape
shape it up
get straight
go forward
move ahead
try to detect it
it's not too late
to whip it
whip it good

When a good time turns around
You must whip it
You will never live it down
Unless you whip it
No one gets their way
Until they whip it

I say whip it
Whip it good

17/07/2006

Som #28 - a loucura vem ao Atlântico

Pixies - Where is my mind?

Esta quinta-feira, os Pixies tocam no Pavilhão Atlântico.
Excitado, perguntais vós?
CLARO!
É o mesmo que perguntar se os ursos são católicos ou se o Papa caga no bosque... (ou ao contrário, agora não tenho bem a certeza).
Aqui fica, pela terceira vez, uma música deles (e o Frank Black pela quearta vez...). Ouvi este tema pela primeira vez em 1999/2000, quando vi o Fight Club no cinema. Depois de uma banda sonora toda electrónica e urgente (e muito boa, diga-se) a cargo dos Dust Brothers, o filme acaba com este tema, um excelente contraste pela sua melodia simples de guitarra, os "ooh-oooohs" da Kim e o ritmo descontraído.
Reflecte, mais uma vez, o interesse do nosso menino vocalista/letrista no mar - ele estudou biologia marinha na universidade e lançou temas como "wave of mutilation", "manta ray", etc. - e em melodias simples mas terrivelmente eficazes.



Letra:
With your feet in the air and your head on the ground
Try this trick and spin it, yeah
Your head will collapse
But there's nothing in it
And you'll ask yourself

Where is my mind
Way out in the water
See it swimmin'

I was swimmin' in the Carribean
Animals were hiding behind the rocks
Except the little fish
But they told me, he swears
Tryin' to talk to me to me to me

Where is my mind
Way out in the water
See it swimmin' ?

With your feet in the air and your head on the ground
Try this trick and spin it, yeah
Your head will collapse
If there's nothing in it
And you'll ask yourself

Where is my mind

Ooooh
With your feet in the air and your head on the ground
Ooooh
Try this trick and spin it, yeah
Ooooh
Ooooh

14/07/2006

Muita gente pensa, João Pedro escreve

Tirado daqui:

"E já que estamos numa de msn... porque porra é que toda a gente mete away e busy e o caraças a 3? Vêm sempre falar comigo ou se eu falo respondem passados 5 milisegundos! "Ai, porque não quero que me chateiem, mas tu és diferente" - olha, obrigado pela parte que me toca, mas porra, não liguem o msn! "Ai, porque há pessoal muita chato!" - Bloqueiem, ora! "Ah, mas é que eles depois descobrem" - Err... porque é que os adicionaram de todo? E se não podem com eles, porque é que os mantêm na lista? Tenham dó, pá! Há que saber mandar uma pessoa dar uma volta quando é preciso! O que as pessoas fazem para não ter que dizer o que pensam ou o que sentem!

Os estados do msn são uma manifestação virtual da hipocrisia entre relações humanas! Nunca correspondem à verdade! People lie..."

O toquezinho de House no fim é que me matou. Ele até é estudante de medicina...
Tenho vontade de transcrever o blog dele por inteiro, but I'm not gonna.