14/10/2007

Acontecimento do Ano: parte I

(dois viajantes, algures no castelo)

Como já viram lá em baixo, o acontecimento do ano foi no fim-de-semana passado. Saci Pererê casou-se com boneca Emília. Ou podem chamar-lhes André e Sofia, que vai dar ao mesmo. Cá vai um relato cronológico (ou mais ou menos):

1. Headache e Sra. Headache saem da capital do Império no dia 5 de Outubro em direcção ao centro do país. O centro do país é a zona da Figueira da Foz. Tee-hee. Levam o carro da Sra. Headache. Aquilo anda nas horas do diabo, vão por mim. Chegam lá depressa, mas mais pobres, porque metade do ordenado ficou na estação de serviço da BP. Mas valeu a pena. Oh se valeu.

2. Cansada de ouvir o estômago e os resmungos de Headache, Sra Headache faz uma concessão importante: entram no McDonald's da Figueira! (Obrigado querida!) Convém referir que já eram quase 16h00 porque tinham saído a más horas de Lisboa, e Headache só tinha o pequeno-almoço dentro dele. Estava com fominha portanto. E resmungão, como é hábito quando tem fome.

3. Depois de Headache se ter alambazado com um SuperMenu + McFlurry (e muito mais bem-disposto), os nossos intrépidos viajantes chegam a Montemor-o-Velho, local escolhido para pernoitar nos dias 5 e 6 de Outubro. Montemor parece uma cidade fantasma, com muito, muito pouca gente na rua. Headache especula que os habitantes usam um sistema de túneis, e por isso não está ninguém à superfície. Lá se instalam na Residencial do sítio. Muito catita, quarto simpático, casa-de-banho com alguns problemas ao nível da "decoração", nomeadamente o facto de Headache conseguir ver por cima do varão do chuveiro e molhar tudo sempre que lavava o cabelo, fora isso tudo bem. Altamente recomendável.

4. Os valentes exploradores decidem ir a pé conhecer o castelo de Montemor. Está fechado. Porra para aquilo, porque fechava às 17h!! Toca a passear pelas ruinhas estreitas de Montemor, muito bonitas. Descobriem afinal que Montemor está entregue aos gatos. Nunca se viu tanto gato junto em toda a vida, e Headache já esteve no Gatil Municipal de Lisboa. Aqui vão dois exemplos:(nota: há cerca de 15-20 fotos só de gatos... isto é mesmo só uma amostra)

5. Resultado final: a vila é mesmo desértica. Não se viu mais que dois habitantes, junto ao castelo. Mais nada! Os habitantes abandonaram-na e entregaram aos gatos. Só pode. Chega a hora de ir jantar. Único restaurante que se encontra aberto é a escolha acertada. Sr e Sra. Headache partilham uma refeição, chega e basta. Ainda se encontravam bastante cheios do McDonald's. Mais uma voltinha e xixi-cama, porque o dia seguinte iria ser muito longo...

(continua...)

4 comments:

Francis said...

eu este fim de semana tambem tive um casamento, o primo direito mais novo casou-se, mas ao contrário do casalinho com odres de cabeça, eu cá não gramo nada destas cenas.

wednesday said...

Não sei qual é o mal dos gatos... Estou a ver que o Headache e a Sra Headache se divertiram muito no fim de semana, ainda que isolados de presença humana:P

Headache said...

Eu adoro gatos, não estou é habituado a uma povoação dirigida por eles...

A presença humana veio nos dois dias seguintes, aguardem os próximos capítulos

Para sempre, Maria said...

Aqui no Fimdemundo não há gatos abandonados, em cães...suspeito, muito suspeito...
E belo fds esse.
beijo