25/08/2009

Quando em Roma, sê romano. Na Holanda, compra uma bicicleta.


E assim fiz. Comprei em segunda(?)-mão uma Gazelle Populaire. A Gazelle é uma das marcas mais conhecidas na Holanda, e já existe desde 1892. Este modelo em particular é apelidado de Black Widow, e foi bem elogiado pelos colegas holandeses da minha namorada.

Este meu novo brinquedo não tem n-a-d-a a ver com as bicicletas que se encontram em Portugal:

1. É de aço. Nada de ligas leves ou coisas do género. Têm que durar uma vida inteira, resistir a pancadaria da grossa. Também é uma forma de alguns holandeses fazerem exercicio, porque têm que a transportar para casa ao fim do dia por escadas íngremes.

2. É pasteleira. Só tem uma mudança, e é pesadona. Tenho mesmo que aprender a arrancar como os holandeses (que tomam balanço com um pé, fora da bicicleta), porque da posição de sentado é um bocado chatito.

3. Trava-se com os pedais. Pedalar para a frente = andar para frente. Pedalar para trás = travar. Nos primeiros dois minutos depois de a ter comprado atirei com a minha namorada para os arbustos, ainda mal habituado. Lembram-se de eu dizer que a bicicleta é de aço? Pois, também demora a travar à conta disso. Sempre que me aproximo de um cruzamento começo a preparar-me para travar, é coisa que tem que ser pensada com as devidas antecedências.

4. Tem muitas mariquices que tornam a vida prática para quem vai trabalhar e fazer compras de bicicleta: guarda-lamas, saias na roda traseira, cobertura integral da engrenagem, porta-bagagens. Já lhe coloquei uns saddle-bags para poder ir às compras e não vir com elas penduradas no guiador. Yay me!

7 comments:

Luna said...

Ahhh também quero uma gazelle... tenho andado a planear comprar uma, mas são caras e fico sempre falida antes de realizar esse desejo. Talvez este mês...
(eu quero daquelas "grandma bikes"em que a pessoa vai muito direitinha, com cestinho e bolsas atrás para trazer as compras)

Headache said...

Esta da fotografia até tem um travão para a roda da frente. A minha nem isso :)

Agora a sério, são uns grandes bois, e não são muito fáceis de manobrar. Já tentaste "comprar" alguma aos "vendedores" que estejam na estação de Leiden?

Luna said...

Não, quero comprar numa loja séria de bicicletas, onde também vendem em segunda mão. O maior problema vai ser encontrar uma que dê para o meu tamanho. :|

Quanto aos travões, depois de te habituares não queres outra coisa. A primeira que tive cá era de travar para trás, o que se torna muito intuitivo, além de mais eficaz. Esta agora tem travões de mão, e não trava nada de jeito, especialmente quando está de chuva e as rodas estão escorregadias. A próxima quero que seja de travões para trás outra vez.

Headache said...

Eu tenho o "mau" hábito de tirar os pés dos pedais (um deles) quando começo a abrandar, o que torna o exercicio de parar dramático porque se tiro o pé, lá se vão os travões.

A minha, por acaso, não trava grande espingarda. Deve precisar de ser afinada, se calhar.

Headache said...

Vou é precisar de uma bicicleta portátil, se for trabalhar para Leiden nos próximos 3 meses... este triunfo da engenharia (a Gazelle) não anda de comboio e nem por sombras a deixaria o dia todo no parque da estação de Eindhoven.

wednesday said...

Estou a ver que vais ficar um pró na coisa... :)

Restelo said...

Eu quero fotos!!!! De ti na bina! Melhor ainda era assim um videozito. à la Youtube, para te vermos a travar e a cair! Mas so for só a travar também pode ser. Mas berra! Dá ar de pânico, que é para a coisa ser mais emocionante!